Desde 1984
Geral
30 de Julho de 2021
MPMG investiga se vereadores tinham “cotas” de exames na Secretaria de Saúde

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) investiga se vereadores de João Monlevade tinham uma “cota” de exames na Secretaria de Saúde. Através de sua assessoria, o promotor Igor Citeli Fajardo Castro confirmou a existência de um procedimento para apurar essas informações. O MPMG não especificou quem são os investigados e nem deu mais detalhes sobre o caso, alegando que os trabalhos correm em sigilo.
O caso veio à tona quando uma integrante do Conselho Municipal de Saúde (CMS) fez a denúncia durante uma reunião. O vereador Belmar Diniz (PT), líder do Governo na Câmara, confirmou o assunto ao A Notícia. Segundo ele, também estavam na reunião, os colegas Marcos Dornelas (PDT), Revetrie Teixeira (MDB) e Thiago Titó (PDT). 
Os parlamentares questionaram quem seriam os responsáveis pelas cotas. “Ela (a conselheira) relatou ter recebido informações de um funcionário do setor sobre possíveis privilégios concedidos a vereadores. No entanto, não quis identificar quais seriam os beneficiados, dizendo que o faria apenas para a [então] secretária de Saúde, Mirellié Santos”, lembra Belmar. 
Ele disse que manifestou contrariedade com a negativa da conselheira em dizer os nomes, pois, em sua visão, a denúncia era grave. O petista considerou vagas as explicações fornecidas, ao mesmo tempo em que repudiou a possível “cota” de exames e procedimentos na Secretaria de Saúde.