Desde 1984
() Alessandra Telles
22 de Janeiro de 2021
Valores e “valores”

(*) Alessandra Telles


Este é o momento no qual percebo pessoas de diversas classes sociais, crenças, ideologias políticas, idade, gênero, raça... totalmente apartadas de suas diferenças e conectadas por um só objetivo: Viver! Com isso, me questiono sobre o que nos é essencial nessa jornada intitulada vida.  

Volto a uma reflexão de como somos influenciados pelo meio externo e julgamentos de terceiros. Há sentido acumular coisas ou importa como vivemos? A vida passa muito rápido, um segundo atrás e já estamos no passado.

Não estou aqui, de forma alguma, fazendo apologia à pobreza, pelo contrário, o dinheiro é bom, traz conforto e segurança em muitas situações; além de financiar muitos sonhos. Mas não será o valor monetário que orquestrará minhas escolhas. Decido por convicção me desconectar com os excessos e fazer filtros importantes para viver de forma leve e fluida, calibrando opções. 

Chega um instante que precisamos escolher nossas batalhas. Algumas são impostas na nossa biografia, para essas: coragem e determinação. E mesmo que choremos escondido durante a madrugada, no outro dia o universo nos possibilita levantar e dar o nosso melhor, fazer o que precisa ser feito, lutar sempre. 

À medida que amadurecemos, nossos valores vão mudando. O tempo se torna um bem muito valioso. Ter consciência da finitude da vida faz com que busquemos plenitude e paz.

Acumular bens cria um ciclo vicioso, adquirimos hoje, ficamos felizes por um tempo, depois queremos mais, e não nos sentimos completos nunca. Precisamos de relações mais saudáveis, qualidade nas emoções diárias, valorização dos pequenos gestos, estarmos com quem amamos genuinamente.

Autoconhecimento cria a verdadeira consciência para uma vida equilibrada. A proposta é esculpir nossa jornada, respeitando os valores mais sinceros.Então volto à pergunta inicial, qual o seu conceito de valor, o que é abundância para você? Abundância, para mim querido leitor, é sentir gratidão diariamente pelo que já tenho.


(*) Alessandra Telles é monlevadense e especialista em RH