Desde 1984
Polícia
23 de Outubro de 2020
Operação do MP contra fraudes em contratos passa por Monlevade
João Monlevade é um dos palcos de uma operação do Ministério Público contra atos lesivos ao poder público. Na manhã desta sexta-feira (23), equipes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), com o apoio das polícias Civil e Militar, estiveram na cidade. Um empresário está sendo investigado por supostas fraudes em vendas de combustíveis. A polícia cumpriu mandatos de busca e apreensão na casa dele nesta manhã. Nem o nome, nem o estabelecimento dele foram divulgados.

Além de Monlevade, a ação também ocorre em Governador Valadares, Virginópolis, Divinolândia de Minas e Gonzaga, no Vale do Rio Doce, e em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. No total, foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão.

Lançada pelo Gaeco e pela Promotoria de Justiça de Virginópolis (MG), a Operação Empenho foi criada para “encontrar mais elementos de informação relacionados ao superfaturamento e/ou inserção de dados fictícios em notas de empenho emitidas em benefício de pessoas jurídicas, havendo, em tese, desvio de dinheiro público, enriquecimento ilícito, falsificação documental, fraude em licitações e organização criminosa”. As casas de ex-prefeitos de Divinolândia de Minas e Gonzaga foram alvos da ação, assim como a Prefeitura deste último município.

De acordo com o Ministério Público, “apurações iniciais apontam que determinadas empresas celebram junto à municipalidade contratos relacionados à manutenção de veículos automotores; após, despesas exorbitantes são empenhadas, liquidadas e pagas em favor destas empresas, sem efetiva prestação de serviços ou fornecimento de produtos. Em um dos casos analisados, constatou-se que a municipalidade gastou mais de seis vezes o valor de mercado, em um veículo, para sua manutenção em três anos consecutivos”.

O Delegado Regional de Polícia Civil, Paulo Tavares, confirmou a operação em Monlevade, mas disse que a investigação não é da delegacia do município.