Região
9 de abril de 2018

Grave acidente mata irmãs em Alvinópolis

Divulgação
As irmãs Izabela e Stefane morreram no local do acidente

Um trágico acidente de moto matou as irmãs Izabela Lúcia Maia, de 19 anos e Stefane Lúcia Maia, 18, na tarde do último sábado (7), em Alvinópolis.
O grave acidente aconteceu no Km 42 da MG-123, estrada que liga os municípios de Alvinópolis e Rio Piracicaba. A motocicleta Honda Titan, com placa HFY-2435, era pilotada por Izabela quando bateu em um caminhão na rodovia.
De acordo com o relato do motorista do caminhão aos policiais militares, ele estava descarregando o veículo em um galpão às margens da estrada e ao realizar uma manobra para entrar na rodovia, ele observou o trânsito na via para verificar a presença de algum veículo, como não viu veículos em nenhum sentido, ele executou a manobra de conversão. Segundos depois, o motorista avistou a motocicleta com as irmãs indo em direção a Alvinópolis, ao perceber que a moto iria bater no caminhão, ele tentou acelerar e evitar a colisão, mas não conseguiu.
As irmãs se chocaram no lado esquerdo do caminhão, próximo à roda traseira. Elas caíram perto do veículo e seus capacetes foram jogados para longe. Logo após a batida, o motorista pediu socorro e a Polícia Militar e uma equipe de resgate foram acionados. Porém, no momento em que chegarem ao local as irmãs já estavam sem vida.

Revolta

A Polícia Militar precisou retirar o motorista do local do acidente, pois várias pessoas ameaçavam agredi-lo, demonstrando estarem revoltadas com o que aconteceu às irmãs.
De acordo com informações da Polícia Militar, a conversão realizada pelo motorista do caminhão ocorreu em local proibido. O condutor realizou o teste de etilômetro e o resultado foi negativo. Porém, o motorista foi preso em flagrante por homicídio culposo na direção de veículo automotor, com consta no artigo 302 do Código de Trânsito Brasileiro. Ele foi conduzido para a Delegacia de plantão de João Monlevade para as devidas providências.
A perícia técnica foi acionada, liberando os corpos para a funerária que providenciou a remoção para o Instituto Médico Legal (IML) de João Monlevade.