Policia
26 de fevereiro de 2018

Greve de servidores não afeta Presídio de João Monlevade

Reprodução
Presídio de João Monlevade fica no bairro Baú

Servidores dos setores administrativos dos sistemas prisional e socioeducativo do estado de Minas Gerais iniciaram, nesta segunda-feira (26), uma greve para reivindicar aumento salarial. De acordo com o diretor do Presídio de João Monlevade, Eliziário Almir dos Santos, na cidade o movimento terá adesão parcial e a paralisação não irá afetar os trabalhos na unidade.
Ainda segundo Elisiário, haverá uma reunião nesta terça-feira (27) entre representantes do governo e do sindicato da categoria para uma negociação salarial. Não há previsão para o término da greve, que conta com a adesão de servidores de todo o estado.
A greve é de profissionais que trabalham na recuperação de presos, como psicólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, pedagogos e técnicos da área administrativa. De acordo com o sindicato da categoria, a mobilização acontece em virtude do governo de Minas Gerais ter prometido uma equiparação dos salários desses profissionais com outros da área de segurança, que foram contemplados com reajustes na gestão anterior. O salário médio dos funcionários é de R$1.050 para nível médio e R$2.298 para o nível superior.